Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/8057
Título: Ajustamento psicológico na adolescência : relação entre autoeficácia social e pensamentos automáticos
Autor: Carreto, Catarina Araújo
Orientador: Sá, Maria Isabel Real Fernandes de, 1959-
Palavras-chave: Auto-eficácia
Ajustamento psicológico
Psicologia do adolescente
Pensamento automático - psicologia
Teses de mestrado - 2012
Data de Defesa: 2012
Resumo: O processo de socialização na adolescência coloca diversos desafios sociais e emocionais ao adolescente, o que torna pertinente compreender a forma como os adolescentes percecionam a sua capacidade para enfrentar e lidar com situações sociais e a sua influência no estabelecimento de relacionamentos interpessoais e ajustamento psicológico. O desenvolvimento de relacionamentos interpessoais adaptativos pode ser influenciado pela perceção que o adolescente tem da sua própria capacidade para interagir com o outro, autoeficácia social (Bandura, 1997), ou pela forma como se perceciona a si, aos outros e ao mundo, esquemas ou modelos internos (Beck, Rush, Shaw, & Emery, 1979/1982), conteúdo cognitivo acessível através dos pensamentos automáticos. Inserida nesta problemática, o presente estudo exploratório pretende analisar de que forma a relação entre os pensamentos automáticos negativos e positivos, e a perceção de autoeficácia social podem influenciar o ajustamento psicológico durante a adolescência. O presente estudo analisa esta relação numa amostra não-clínica de adolescentes, com idades compreendidas entre os 12 e os 18 anos. Para este fim foi necessário estudar a adequação linguística e as qualidades psicométricas das medidas psicológicas de perceção autoeficácia social (S-EFF) e de pensamentos automáticos negativos e positivos (CATS-N/P). Considerou-se ainda necessário o estudo das qualidades psicométricas da medida de ajustamento psicológico, questionário de capacidades e dificuldades para adolescentes (SDQ), devido à pouca acessibilidade de estudos empíricos que analisem a estrutura fatorial do instrumento na adaptação para a língua portuguesa. Os resultados encontrados suportam o pressuposto da existência de uma relação entre os pensamentos automáticos e a perceção de autoeficácia social. A confirmação do pressuposto permite retirar conclusões quanto à sua influência no comportamento do adolescente. Limitações, sugestões para futuras investigações e implicações do presente estudo no processo de intervenção psicoterapêutica são discutidas.
The process of socialization in adolescence presents several social and emotional challenges to the adolescent, therefore it becomes relevant understanding the way adolescents perceive their own capability to confront and cope with social situations and its influence in establishing interpersonal and psychological adjustment. The development of adaptive interpersonal relationships may be influenced by the adolescent’s perception of his own ability to interact with others, social self-efficacy (Bandura, 1997), or by the way he perceives himself, the others and the world, schemas or internal models (Beck, Rush, Shaw, & Emery, 1979/1982), accessible cognitive content through the automatic thoughts. In this issue, the present exploratory study intends to examine the way in which the relation between the positive and negative automatic thoughts and the perception of social self-efficacy may influence the psychological adjustment during adolescence. This study analyzes this relation in a non-clinical adolescent sample, aged between 12 and 18 years. For this purpose it was necessary to study the linguistic adequacy and the psychometric properties of the psychological measures of perceived social self-efficacy (S-EFF) and positive and negative automatic thoughts (CATS-N/P). We judged necessary to study the psychometric properties of the measure psychological adjustment, the strengths and difficulties questionnaire for adolescents (SDQ), due to the poor accessibility of empirical studies that examine its factor structure in the Portuguese adaptation. The obtained results support the hypothesis of a relationship between the automatic thoughts and the perception of social self-efficacy. The confirmation of this hypothesis allows us to draw conclusions on its influence in the adolescent’s behavior. Limitations, suggestions for future investigations, and implications of this study on the process of psychotherapeutic intervention are discussed.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012
URI: http://hdl.handle.net/10451/8057
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie043183_tm_tese.pdf913,13 kBAdobe PDFVer/Abrir
ulfpie043183_tm_errata.pdf43,36 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.