Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/8184
Título: Transição para a parentalidade e (in)satisfação marital : qual a influência dos comportamentos do bebé?
Autor: Miguel, Rita Sofia Lopes
Orientador: Justo, João Manuel Rosado de Miranda, 1958-
Palavras-chave: Parentalidade
Comportamento infantil
Satisfação conjugal
Teses de mestrado - 2012
Data de Defesa: 2012
Resumo: Objectivo: O objectivo principal desta investigação foi estudar qual a influência dos comportamentos do bebé ao nível do temperamento, do padrão de choro e do comportamento alimentar, na satisfação marital das mães no período de transição para a parentalidade. Amostra: Mães (N = 37) de bebés entre 3 e 8 meses de idade, recrutadas em consultórios de pediatria e nos contactos da rede social da investigadora. Instrumentos: Após a obtenção do consentimento informado, cada participante tinha de preencher, em conjunto com a investigadora, um Questionário Sociodemográfico e Clínico e, em seguida, era-lhe entregue um protocolo com quatro questionários: a Escala de Satisfação em Áreas da Vida Conjugal (EASAVIC), o Questionário sobre o Comportamento Alimentar do Bebé (QCAB), o Questionário sobre o Padrão de Choro (QSPC) e o Questionário das Características do Bebé (QCB), administrados por esta ordem. Hipóteses: Foram testadas oito hipóteses que, utilizando como variáveis independentes o Temperamento do bebé, o Padrão de choro e o Comportamento alimentar, pretendiam explicar a variância das variáveis dependentes (H1) Satisfação Marital Global, (H2) satisfação com a Intimidade Emocional, (H3) satisfação com a Sexualidade, (H4) satisfação com a Comunicação/Conflito, (H5) satisfação com as Funções Familiares, (H6) satisfação com a Rede Social, (H7) satisfação com a Autonomia e (H8) satisfação com os Tempos Livres. Resultados: Utilizando análises de regressão, as hipóteses H1, H2 e H5, foram parcialmente confirmadas, destacando-se, principalmente, a contribuição do Padrão de Choro. As hipóteses H3, H4, H6, H7 e H8 não foram confirmadas, mas mostrou-se que algumas variáveis sociodemográficas e da gravidez desempenham um papel importante ao nível desta temática. Conclusão: Os dados obtidos permitem concluir que os comportamentos do bebé têm um contributo significativo na satisfação marital das mães no período de transição para a parentalidade.
Objective: The main goal of this research was to study if there is any influence of the infant behaviour, such as temperament, crying pattern and eating behaviour, upon mothers’ marital satisfaction, during the transition to parenthood. Sample: Mothers (N = 37) with babies between 3 and 8 months old, recruited in private paediatric offices and among the social relations net of the investigator. Instruments: After the Informed Consent was obtained, each participant had to fill in a Sociodemographical and Clinical Questionnaire, along with the investigator. After that, participants were asked to complete a protocol with four questionnaires: Satisfaction in Marital Life Areas (SMLA); Baby Eating Behaviour Questionnaire (BEBQ); Extended Crying Pattern Questionnaire (ECPQ); Infant Characteristics Questionnaire (ICQ). Hypotheses: Eight hypotheses were tested using as independent variables the Infant’s temperament, the Crying pattern and the Eating behaviour, aiming to explain the statistical variance of dependent variables (H1) General Marital Satisfaction, (H2) Emotional Intimacy, (H3) Sexuality, (H4) Communication/Conflict, (H5) Family Functions, (H6) Social Network, (H7) Autonomy and (H8) Leisure Time. Results: Using regression analysis, hypotheses H1, H2, and H5 were partially confirmed, highlighting particularly the contribution of the Crying Pattern. Hypotheses H3, H4, H6, H7 and H8 were not confirmed but showed that some sociodemographical variables, as well as pregnancy variables, were important to this matter. Conclusion: The data allow us to conclude that the infant’s behaviours do have a significant contribution for mother’s marital satisfaction during transition to parenthood.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012
Os anexos encontram-se no CD-ROM apenso ao exemplar em papel.
URI: http://hdl.handle.net/10451/8184
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie043210_tm.pdf496,52 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.