Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/8291
Título: Influência da auto-percepção do envelhecimento e dos traços de personalidade na sintomatologia depressiva em idosos
Autor: Lourenço, Sara Tatiana Ferreira
Orientador: Silva, Maria Eugénia Duarte, 1951-
Palavras-chave: Percepção de si
Envelhecimento
Traços de personalidade
Sintomas depressivos
Gerontologia
Teses de mestrado - 2012
Data de Defesa: 2012
Resumo: O presente trabalho refere-se ao estudo da influência da auto-percepção do envelhecimento e dos traços de personalidade na sintomatologia depressiva, numa amostra de adultos mais velhos, em meio não institucional e sem psicopatologia diagnosticada. Tem como objectivos: (1) analisar a auto-percepção do envelhecimento; (2) analisar os traços de personalidade; (3) analisar a sintomatologia depressiva e (4) explorar de que forma a auto-percepção do envelhecimento e os traços de personalidade se relacionam com a sintomatologia depressiva. Foram utilizados quatro instrumentos: Questionário de Percepção do Envelhecimento – QPE (Barker, O’Hanlon, McGee, Hickey, & Conroy, 2007) traduzido e adaptado em Portugal por Claudino (2007); Inventário dos Cinco Factores – NEO-FFI (Costa, P. T. & McCrae, R. R., 1989, 1992), traduzido e adaptado em Portugal por Lima e Simões (2001); Escala de Depressão do Centro de Estudos Epidemiológicos – CES-D (Radloff, 1977) traduzida e adaptada em Portugal por Gonçalves e Fagulha (2004) e um Questionário Sócio-demográfico, construído para recolha de dados sócio-demográficos e psico-sociais. Participaram no estudo 81 indivíduos de ambos os sexos com idades compreendidas entre 60 e 90 anos. Os resultados mostraram que as mulheres tendem a apresentar auto-percepções do envelhecimento mais negativas do que os homens e que as auto-percepções do envelhecimento sofrem variações em função da idade. As mulheres tendem a evidenciar níveis mais elevados de Neuroticismo e mais baixos de Extroversão e, em função da idade, o Neuroticismo sofre variações e a Extroversão tende a diminuir. A sintomatologia depressiva é, tendencialmente, mais elevada nas mulheres do que nos homens e a amostra total sofre variações em função da idade. Indivíduos com auto-percepções do envelhecimento mais positivas apresentam menos sintomatologia depressiva e indivíduos com elevado Neuroticismo e baixa Extroversão apresentam mais sintomatologia depressiva. Verificaram-se, ainda, associações pertinentes entre variáveis sócio-demogáficas e a auto-percepção do envelhecimento, os traços de personalidade e a sintomatologia depressiva. O estudo preditivo demonstrou que a auto-percepção do envelhecimento (duas escalas) e o Neuroticismo são preditores significativos da sintomatologia depressiva. Os resultados são discutidos com base na literatura existente. São referidas as limitações do estudo e as propostas para futuras investigações.
The present research concerns the study of the influence of self-perception of aging and personality traits in depressive symptoms in a sample of older adults, in non-institutional context and without diagnosed psychopathology. The aims are: (1) to analyze the self-perception of aging; (2) to analyze the personality traits; (3) to analyze the depressive symptoms and (4) to investigate how self-perception of aging and personality traits are associated with depressive symptoms. Three instruments were used: Aging Perceptions Questionnaire – APQ (Barker, O’Hanlon, McGee, Hickey, & Conroy, 2007) translated and adapted in Portugal by Claudino (2007); Five Factors Inventory – NEO-FFI (Costa, P. T. & McCrae, R. R., 1989, 1992) translated and adapted in Portugal by Lima and Simões (2001); Center for Epidemiologic Studies-Depression Scale – CES-D (Radloff, 1977) translated and adapted in Portugal by Gonçalves and Fagulha (2004) and a Social-Demographic Questionnaire to gather social-demographic and psychosocial data. 81 participants of both gender and ranging in age from 60 to 90 years old were involved in the present study. Results showed that women’s self-perceptions of aging tend to be more negative than men’s and that self-perceptions of aging suffer variations across age groups. Women tend to show higher levels of Neuroticism and lower levels of Extraversion, and depending on age, the Neuroticism suffers variations and Extraversion tends to decrease. Women tend to show more depressive symptoms than men and the depressive symptoms of the sample show variations across age groups. Individuals with more positive self-perceptions of aging present less depressive symptoms and individuals with higher Neuroticism and lower Extraversion present more depressive symptoms. Relevant associations were also verified between social-demographical variables and self-perceptions of aging, the personality traits and the depressive symptoms. The predictive study showed that self-perception of aging (two scales) and Neuroticism are significant predictors of depressive symptoms. Results are discussed in the light of the existing literature. Study limitations and suggestions for further investigations are presented.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012
URI: http://hdl.handle.net/10451/8291
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie043287_tm.pdf682,6 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.