Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/8461
Título: Água-ruça: tratamento anaeróbio e fotoelectroquímico
Autor: Sampaio, Margarida Alexandra Pereira
Orientador: Correia, Jorge Palma, 1962-
Marques, Isabel Paula Ramos
Palavras-chave: Água-ruça
Oxidação
Recalcitrância
Digestão anaeróbia
Tratamento fotoelectroquímico
Teses de mestrado- 2011
Data de Defesa: 2011
Resumo: Este trabalho dedica-se a duas técnicas destinadas à valorização/tratamento da água-ruça: digestão anaeróbia e tratamento fotoelectroquímico. O processo anaeróbio para o tratamento de água-ruça tem sido intensivamente estudado, mas o carácter recalcitrante e a toxicidade deste efluente têm dificultado a respectiva aplicação. Pela primeira vez, a água-ruça, no seu estado bruto, foianaerobiamente degradada com êxito num digestor híbrido por adopção de uma estratégia holística que recorre ao conceito de complementaridade de efluentes. Produções em biogás de 3, 7-3,8m3 m-3 d-1 (63-64 % CH4) e reduções em carência química de oxigénio (CQO) de 81-82 % foram registadas em condições de estabilidade do processo operando com tempos de retenção hidráulicos de 6-7 dias e cargas orgânicas de 8-10 Kg CQO m-3 d-1. Um bom desempenho foi igualmente observado na unidade híbrida durante o período em que foi sujeita a choques orgânicos semanais. A variação testada, de 2,7-4,1 a 8,4-10,4 kg CQO m-3 d-1, foi proporcionada pela introdução do efluente suinícola e da água-ruça de forma alternada. Produções de biogás de 3,0-3,4 m3 m-3 d-1 (63-69 % de CH$) foram registadas. O processamento da água-ruça por oxidação anódica sobre eléctrodos dimensionalmente estáveis à base de RuO2, revelou-se uma metodologia adequada para uma eficiente remoção de cor, fenóis e dimuição da CQO do substrato. Reduções superiores a 70% CQO e eliminação total da cor e dos fenóis foram conseguidas com o efuente real diluído (8 kg CQO m-3), sem adição de electrólito suporte e a baixos valores de potencial eléctrico (1,8 V/ESC). A iluminação do ânodo com luz branca, aumenta a taxa de degradação de fenóis e a velocidade de descoloração da água ruça, sendo este efeito proporcional à intensidade da luz, não tendo, no entanto, efeito significativo na remoção de CQO.
Descrição: Tese de mestrado em Química Tecnológica, apresentada à Universidade de Lisboa, através da Faculdade de Ciências, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/8461
Aparece nas colecções:FC - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfc103882_tm_Margarida_Sampaio.pdf817,96 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.