Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/8493
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorGraça, Adriana Silva, 1960--
dc.contributor.authorMiguel, Ricardo Jorge Raimundo, 1983--
dc.date.accessioned2013-05-22T11:04:23Z-
dc.date.available2013-05-22T11:04:23Z-
dc.date.issued2013-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10451/8493-
dc.descriptionRelatório da prática de ensino supervisionada, Ensino de Filosofia, Universidade de Lisboa, 2013por
dc.description.abstractO ensino de lógica no secundário está determinado pela opção, dada pelo Programa de Filosofia, entre leccionar lógica aristotélica ou lógica proposicional. Na prática esta opção é quase inexistente para a maioria dos professores, pois, por várias razões que abordaremos, quase só leccionam lógica aristotélica. Esta situação resulta na desmotivação dos alunos, no descrédito da disciplina e contribui activamente para a persistência de um ensino antiquado, formalista e sem rigor. Este relatório apresenta a nossa experiência da prática de ensino supervisionada, que contribuiu para a consolidação de tal ideia. Para o efeito foram escolhidas 9 aulas leccionadas sobre lógica aristotélica a três turmas do 11.º ano. A análise desta experiência e dos resultados é importante para a nossa discussão daquela opção programática. A conclusão alcançada é que esta opção não é pedagogicamente irrelevante, ao contrário do que é assumido no Programa de Filosofia, e que os professores deverão optar por leccionar lógica proposicional.por
dc.description.abstractThe teaching of logic in secondary education is determined by the option of theaching aristotelian logic or propositional logic, which is given by the Programa de Filosofia. In practice this option is almost nonexistent for the majority of professors who, for various reasons that we will consider, almost only teach aristotelian logic. This situation results in demotivation of students, in descredit of the discipline and actively contributes to the persistence of a formalist, without rigour, and antiquated theaching. This report presents our experience of the practice of supervisioned theaching which contributed to consolidate that idea. For that we choose 9 classes on aristotelian logic taught to three 11th grade schoolclasses. The analysis of this experience and of the results is significant to our discussion of that programme option. The conclusion is that unlike what seems to be assumed by the Programa de Filosofia this option is not pedagogically irrelevant and that theachers should opt to theach propositional logic.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectEnsino da filosofiapor
dc.subjectEnsino secundário (11º ano)por
dc.subjectLógicapor
dc.subjectRelatórios da prática de ensino supervisionada - 2013por
dc.titleQue lógica para o ensino secundário de Filosofia?por
dc.typemasterThesispor
dc.identifier.tid201371553-
Aparece nas colecções:REIT - Mestrados em Ensino

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie043382_tm.pdf2,5 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.