Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/9090
Título: Stress docente e hábitos de vida
Autor: Costa, Maria Luísa Henriques
Orientador: Freire, Isabel Pimenta, 1952-
Palavras-chave: Profissão docente
Stress profissional
Teses de mestrado - 2011
Data de Defesa: 2011
Resumo: O stress faz parte das nossas vidas. É impossível viver sem stress. São múltiplos os factores stressantes com os quais nos confrontamos cada dia. O preço pago pela saúde devido à pressão que estes factores desencadeiam (quando atingem certos limiares de tolerância, que variam de pessoa para pessoa e consoante o momento para cada pessoa) é muito elevado. As repercussões são muito graves, em algumas situações, podendo não raras vezes conduzir à morte. As respostas cognitivas e comportamentais dadas aos múltiplos acontecimentos surgem em conformidade com as interpretações que deles são feitas, consoante são familiares ou, pelo contrário, desconhecidos ou ameaçadores. O stress engloba uma enorme a complexidade, pelo que se impõe uma boa compreensão e uma correcta interpretação de todos os seus mecanismos para uma melhor interpretação das diferentes reacções. Os professores são submetidos a situações de stress pela pressão a que estão sujeitos no seu dia-a-dia profissional, constatando-se em estudos realizados que estes professores percepcionam a sua profissão como sendo uma actividade muito ou extremamente geradora de stress (Pinto, 2000). O estudo que apresentamos, metodologicamente de natureza essencialmente quantitativa, foi realizado com 94 professores de três escolas do concelho de Coimbra. Verificámos neste estudo que é muito elevada a sobrecarga de trabalho sentida por estes professores, agravada pela realização de tarefas profissionais de carácter burocrático e de gestão, que os sobrecarregam mesmo durante o fim de semana e lhes retiram tempo para o que mais desejam fazer – ensinar os seus alunos. Observámos que o peso da hierarquia e da burocracia são percepcionados como as principais fontes de stress, se bem que a indisciplina, a desmotivação dos alunos e o ruído também sejam sentidos como stressantes. Quantos aos sentimentos associados à actividade docente, o que mais se destaca nos resultados obtidos é a vivência de sentimentos contrastantes, tanto negativos (esgotamento e mesmo exaustão) como positivos (alegria, realização pessoal). Os dados obtidos acerca dos seus hábitos de vida relativamente à saúde, levam a inferir tratar-se de uma amostra de sujeitos com hábitos moderados (quer no consumo do tabaco, quer de bebidas alcoólicas, quer de café) e com cuidado na preservação da saúde (regularmente consultam o seu médico assistente). A frequência do uso de medicamentos antidepressivos e ansiolíticos, as alterações no interesse sexual prolongado e a associação que fazem entre as situações de doença no último ano e o stress, numa parte substancial da amostra, associado à manifesta sobrecarga de trabalho, leva a concluir que uma parte importante dos professores participantes no estudo (cerca de 20%) vivia situações de stress com repercussões nocivas na sua saúde e qualidade de vida.
Stress is part of our lives and it is virtually impossible to live a stress-free life. There are multiple stress factors we have to face every day. The pressure triggered by these factors can take an extremely heavy toll on our health, especially when we reach the limit of our tolerance levels, which vary from person to person and at different moments of our lives. The consequences are very serious and can even lead to death. People’s cognitive and behavioural responses to stressful situations depend on how they interpret them and on whether they view them as familiar or unknown and threatening. Stress is an extremely complex phenomenon and calls for a thorough understanding of all its multifaceted mechanisms in order to arrive at the best possible interpretation of people’s reactions to it. Teachers are confronted with stressful situation in their day-to-day professional lives and several studies have shown that teachers find their jobs to be highly or even extremely stressful (Pinto, 2000). The quantitative study presented here was conducted in three different schools of the district of Coimbra, Portugal, and included 94 teachers. The study reveals that the general feeling among teachers in these schools is that they are overloaded with bureaucratic and management tasks which they have to carry out even at weekends and which take time away from their most cherished activity: teaching. In addition, hierarchy and bureaucracy are perceived as being the main sources of stress, besides noise and pupils’ lack of discipline and motivation. The results also show that teaching activities are associated with both negative (breakdown and exhaustion) and positive (joy, personal fulfillment) feelings. The data regarding teachers’ health show that the sample under consideration has moderate smoking, drinking and coffee consumption habits, and that all the subjects take care of their health by regularly seeing their family doctor. A significant number of subjects in the sample revealed frequent use of antidepressants and anxyolitics as well as long-lasting changes in sexual drive, and associated these problems to stress and excessive workload in the past year. These findings allow us to conclude that approximately 20% of the teachers participating in the study experienced stressful situations with negative repercussions on their health and quality of life.
Descrição: Tese de mestrado, Ciências da Educação (Formação de Professores), Universidade de Lisboa, Instituto de Educação, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/9090
Aparece nas colecções:IE - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie044661_tm.pdf1,06 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.