Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/9499
Título: Relação entre a vinculação e o investimento corporal em adolescentes
Autor: Tacoen, Jessica
Orientador: Biscaia, Constança
Palavras-chave: Psicologia do adolescente
Bem-estar (Psicologia)
Imagem corporal
Vinculação
Teses de mestrado - 2013
Data de Defesa: 2013
Resumo: O presente estudo propõe-se explorar a correlação e a capacidade preditiva da vinculação sobre o investimento corporal, em adolescentes, no sentido de verificar em que medida os modelos internos dinâmicos, desenvolvidos no contexto da relação precoce com a figura de vinculação, afetam a qualidade do investimento corporal na adolescência. O corpo é descrito como centro da maior parte dos conflitos na adolescência, período de crise, decorrente das mudanças psíquicas e fisiológicas, no qual pulsões, defesas, investimentos narcísicos e objetais se defrontam. É através de uma vinculação precoce segura, de uma relação primária prazenteira, da qualidade do investimento materno e do olhar da mãe que dá significado e valoriza o corpo da criança, que esta aprende a investir em si. A amostra, recolhida em contexto escolar, envolve 144 adolescentes, de ambos os géneros, com idades entre os 13 e os 17 anos. Os instrumentos quantitativos utilizados são o Inventário sobre a Vinculação para a Infância e Adolescência (IVIA; Carvalho, Soares & Baptista, 2006), para caracterizar o estilo de vinculação (segura; ansiosa-ambivalente; evitante) e o Body Investment Scale (BIS; Orbach & Mikulincer, 1998), para descrever o investimento corporal (sentimentos e atitudes em relação ao corpo; bem-estar no contato físico; cuidado corporal; proteção corporal). Os resultados apoiam a consistência interna dos dois instrumentos e mostram o contributo da vinculação para a variância do investimento corporal, encontrando-se correlações positivas significativas do investimento corporal com a vinculação segura e negativas mas nem todas significativas com a vinculação ansiosa-ambivalente e evitante. A vinculação segura foi a mais forte preditora do investimento corporal, parecendo funcionar como fator protetor contra um fraco investimento corporal. Verificam-se, ainda, diferenças significativas para o investimento corporal, em função do género mas não se verificam diferenças significativas na vinculação, em função do género, do agregado familiar e de situações familiares específicas.
The dissertation sought to explore the correlation and the prediction of the attachment on the body investment in adolescents, in order to verify the extent to which the working models, developed in the context of the early relationship with the attachment figure, affects the quality of the body investment in adolescence. The body is described as the center of most conflicts in adolescence, a period of crisis, resulting from psychological and physiological changes, where drives, defenses, narcissistic and objectal investments are in confront. It is through a secure early attachment, a pleasant primary relationship, the quality of maternal investment and the maternal gaze, who gives meaning and value to the child's body, that the child learns to invest in herself. The sample, collected in schools, involves 144 adolescents of both sexes, aged between 13 and 17 years. The quantitative instruments used are the Attatchment Inventory for Children and Adolescents (IVIA; Carvalho, Soares & Baptista, 2006), to characterize the attachment style (secure; anxious-ambivalent; avoidant) and the Body Investment Scale (BIS; Orbach & Mikulincer, 1998), to describe the body investment (body image feelings and attitudes; comfort in touch; body care; body protection). The results support the internal consistency of the two instruments and show the contribution of attachment to the variance of the body investment. The study concludes that the body investment have significant positive correlations with the secure attachment and negative but not all significant correlations with anxious-ambivalent and avoidant attachment. The secure attachment was the strongest predictor of body investment, working as a protective factor against a poor body investment. Plus, the research concludes that there are significant differences for body investment, according to the gender but that there are no significant differences for attachment, according to the gender, household and specific family situations.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013
URI: http://hdl.handle.net/10451/9499
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie044696_tm.pdf928,62 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.