Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/9715
Título: Respostas afirmativas em diálogos espontâneos em português europeu: interface prosódia-sintaxe-discurso
Autor: Cabarrão, Vera Mónica dos Santos
Orientador: Silva, Ana Isabel Mata da, 1962-
Duarte, Inês, 1951-
Palavras-chave: Língua portuguesa - Análise do discurso
Língua portuguesa - Prosódia
Língua portuguesa - Entoação (Linguística)
Teses de mestrado - 2013
Data de Defesa: 2013
Resumo: O presente estudo tem como principal objectivo caracterizar o comportamento dos constituintes afirmativos em diálogos espontâneos em Português Europeu (PE), de forma a aferir a existência de correlações entre as propriedades prosódicas e as funções comunicativas a que estes constituintes estão associados. Apesar de os constituintes afirmativos representarem uma das estruturas mais frequentes em diálogos espontâneos, dado o seu papel enquanto mecanismo estruturador da interacção (Schegloff, 1982; Reichman, 1985; Grosz e Sidner, 1986), o seu estudo não tem sido muito desenvolvido no Português, ao contrário do que acontece, por exemplo, no Inglês (e.g. Allwood, Nivre e Ahlsén, 1992; Allwood, 1999; Litman e Hirschberg, 1990; Jurafsky et al., 1998; Ward, 2007). Deste modo, e dado o crescente interesse de áreas associadas ao processamento automático de fala, este trabalho visa dar um primeiro contributo para a caracterização destes constituintes em diálogos adulto-adulto em PE. Para a realização deste trabalho, foi usado o corpus CORAL (Viana et al., 1998; Trancoso et al., 1998), constituído por sessenta e cinco diálogos em formato map-task entre trinta e quatro falantes, com um total de nove horas transcritas ortograficamente. A análise dos constituintes afirmativos incidiu sobre uma amostra de onze diálogos entre doze falantes (sete do sexo feminino e cinco do sexo masculino) da qual foram extraídos 515 constituintes afirmativos, produzidos em 460 respostas afirmativas. Os constituintes analisados correspondem a diversas estruturas linguísticas, como, por exemplo: “sim”, “ok”, “exacto”, “exactamente”, “certo”, “está bem”, “está certo”, “pronto”, “pois”; palavras especiais, como “humhum”; uma forma gramaticalizada do verbo “ser”; a repetição do verbo auxiliar ou principal do enunciado anterior, bem como a repetição total ou parcial do enunciado anterior. Estes constituintes afirmativos ocorrem quer como enunciados isolados (N=320) quer em posição inicial (N=91), medial (N=33) e final (N=71) em respostas mais longas. Tendo em consideração o carácter colaborativo dos diálogos (Grice, 1975), bem como a influência do enunciado anterior na formulação das respostas afirmativas, foram extraídos também os contextos de elicitação das 460 respostas analisadas. A anotação de constituintes afirmativos e contextos de elicitação foi realizada de acordo com a taxonomia proposta no Semantic annotation framework – Part 2: Dialogue Acts (Bunt et al., 2010a; Bunt et al., 2010b; Bunt et al., 2012). No que diz respeito aos constituintes afirmativos, estes foram classificados de acordo com as seguintes funções: agreement, o falante aceita o que foi dito anteriormente como sendo verdadeiro; auto positive, o sinal foi bem interpretado e o ouvinte continua a prestar atenção ao discurso do seu interlocutor; e confirm, resposta a interrogativas globais e de confirmação. A anotação prosódica foi realizada de acordo com as convenções do sistema Tones and Break Indices (ToBI), proposto por Silverman et al. (1992), tendo em conta a primeira adaptação para o 7 português em Towards a P_ToBI (Viana et al., 2007). Para a análise das propriedades prosódicas das estruturas-alvo, foram ainda extraídos os valores médios, máximos e mínimos de f0 e de energia, bem como a gama de variação de f0 e a duração dos constituintes afirmativos e contextos adjacentes. Os resultados mostram um comportamento distinto entre funções comunicativas quanto à distribuição de acentos nucleares e tons fronteira, bem como nas suas propriedades prosódicas, sendo que as funções agreement e confirm se aproximam, por oposição à função auto positive. O constituinte “sim”, o mais frequente nos dados analisados, apresenta muita variação quanto às funções a que está associado, bem como nos acentos e tons fronteira com que é produzido. Ainda assim, observam-se regularidades ao nível prosódico que permitem desambiguar as suas funções comunicativas. As classes de constituintes “ok” e “palavras especiais”, também muito frequentes, tendem a ocorrer com as funções agreement e auto positive, respectivamente, apresentando menos variação do ponto de vista entoacional. Na análise das respostas com o contexto adjacente, verificou--se a existência de correlações de níveis de f0 entre os pares contexto-resposta com as funções instruct-agreement e propositional question-confirm. Adicionalmente, observou-se também que o papel desempenhado pelo falante no diálogo tem uma grande influência quer na distribuição das classes de constituintes quer nas funções comunicativas correspondentes e suas propriedades prosódicas
Abstract: This study investigates the correlation between the prosodic properties and pragmatic functions of affirmative constituents in spontaneous speech in European Portuguese (EP). Even though affirmative constituents are one of the most frequent structures in spontaneous speech, given their role as a mechanism for structuring conversations (Schegloff, 1982; Reichman, 1985; Grosz e Sidner, 1986), they haven’t been the object of many studies in EP, unlike what happens, for instance, in English (e.g. Allwood, Nivre e Ahlsén, 1992; Allwood, 1999; Litman e Hirschberg, 1990; Jurafsky et al., 1998; Ward, 2007). Given this, and the fact that these structures are a topic of growing interest in areas like automatic speech processing, this study represents a first attempt to characterize affirmative constituents in adult-adult interactions in EP. This study uses the CORAL corpus (Viana et al., 1998; Trancoso et al., 1999), comprising sixty-five dialogs in map-task format between thirty four speakers, with a total of nine hours orthographically transcribed. The subset used comprises eleven dialogues between twelve speakers (seven female and five male). We analyzed 515 affirmative constituents, extracted from 460 affirmative answers, corresponding to several linguistic structures, namely: sim ‘yes’, okay, exacto ‘exact’, exactamente ‘exactly’, certo ‘certainly’, está bem ‘that’s right’, está correcto ‘that’s correct’, pronto, pois; grunts (e.g., humhum); the frozen form of the verb ser ‘to be’; and both the repetition of the previous utterance, as well as the repetition of the main or auxiliary verb. These affirmative constituents occur mainly as isolated utterances (N=320), but also at the beginning (N=91), in the middle (N=33), and at the end of longer utterances (N=71). Considering also the cooperative principle of dialogs (Grice, 1975), as well as the influence of the previous utterance in affirmative answers, we also extracted their adjacent contexts. Affirmative constituents and contexts were classified as proposed by the Semantic Annotation Framework – Part 2: Dialogue Acts (Bunt et al., 2010a; Bunt et al., 2010b; Bunt et al., 2012). The affirmative constituents were coded with three communicative functions: agreement – the speaker accepts the previous utterance as true; auto positive – the signal was well interpreted and the listener is still paying attention; and confirm – answers to yes-no questions and check questions. The prosodic annotation was done in the ToBI (Tones and Break Indices) system (Silverman et al., 1992), applying the first proposal Towards a P_ToBI (Viana et al., 2007). For each affirmative constituent and adjacent context, we extracted the following features: energy mean, pitch maxima, minima and range, as well as duration. The results show that affirmative constituents have different prosodic properties according to their pragmatic function: agreement and confirm show a similar behavior, being auto positive the most distinct function. The constituent sim ‘yes’, the most frequent in the corpus, is associated with all the functions analyzed, showing much variation in the nuclear pitch accents and boundary tones 9 with which is produced. There are also regularities in the prosodic behavior of this constituent that allow for the distinction between its functions. The constituents okay ‘ok’ and grunts (e.g. ‘humhum’), also very frequent in the corpus, tend to occur with the agreement and auto positive functions, respectively, and show less variation in what concerns nuclear pitch accents and boundary tones. The analysis of the pair context-answer show that there are correlations regarding pitch hight between the functions instruct and agreement, on one hand, and propositional question and confirm, on the other, even though they are expressed in different degrees. Finally, the role played by the speaker in the dialog influences the distribution of affirmative constituents, their communicative functions and corresponding prosodic properties.
Descrição: Tese de mestrado, Linguística, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2013
URI: http://hdl.handle.net/10451/9715
Aparece nas colecções:FL - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfl145999_tm_capa_indice.pdf118,68 kBAdobe PDFVer/Abrir
ulfl145999_tm.pdf2,92 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.